domingo, junho 18, 2006

Mais Corajoso

Recentemente o colega Marco passou a participar do Grupo Gagueira. Em seu primeiro depoimento, achei interessante algumas coisas. Como por exemplo a importância de grupos de discussão sobre a disfemia, pois proporciona a muitos motivação de melhorar, coragem para enfrentar o dia-a-dia, o interesse para compreender melhor o assunto e o desejo de trocar experiências. Outro ponto é o absurdo dele ter passado por um tratamento que utilizava "pedrinhas na boca". É incrível como fonoaudiólogos despreparados para tratar gagueira estão atuando livrmente por aí. Pedrinhas na boca era o que fazia Demóstenes, orador da grécia antiga.

Vejam o que Marco escreveu para nós:

"Fiquei feliz com a acolhida pelo grupo...
Depois de anos sem falar sobre o assunto, achar esses grupos de discussão tão bem organizados e tão empenhados, me encorajaram.
Já passei por inúmeras fonoaudiólogas, com tratamentos diversos; comecei com exercícios bucais - silabação e até falar com pedrinhas na boca - tendo os últimos, trabalhado com suavização de fala e relaxamento. Quanto aos métodos, posso citar o de um terapeuta italiano chamado Piero D´erasmo, que agregava um modo de cantilena à fala e também o do famigerado Simon Wajntraub. Usei também um aparelho chamado Delay Audictory Feedback (mini - DAF), que atrasava a audição de sua própria fala, para a mesma sair compassada.
No meu caso, não tive resposta a esses tratamentos, o que considero de forma individual, já que vi inúmeras pessoas terem resultados bastante positivos com diversos deles.
Posso relatar mais detalhes, mas queria saber de alguma experiência de vocês e saber mais sobre as novas descobertas sobre o assunto." Marco Sarno.

2 comentários:

shirley disse...

Gostaria muito de participar de um grupo desses para compartilhar, experiências, fracassos, ânimos e desânimos.
Como proceder?
Eu também sofro desse grande mal desde 6 ou 7 anos. Hoje tenho 50 anos. Foi uma vida de muitas humilhações, discriminações e limitações.

Luiz Carlos disse...

Caro Marco Sarno,
Na ânsia de encontrar a cura da gagueira, também passei por situação semelhante durante tratamento com fonoaudióloga numa universidade. Não cheguei a usar pedrinhas, mas o método incluía, entre outras coisas, massagem facial, na testa, na cabeça, fala cadenciada e até falar com rolha na boca. Conheci uma pessoa que disse ter tido resultado 100% satisfatório, ou seja deixou de gaguejar. Comigo não surtiu efeito algum. Por que será? Alguem do grupo teria uma explicação.

Antes pensava que para atingir meus objetivos,tinha primeiramente que me curar da gagueira. Ao ler relatos de pessoas vencedoras que também gaguejam serviu como incentivo e grande motivação para buscar o meu lugar ao sol sem medo nem vergonha de gaguejar, mesmo sabendo do transtorno que pode surgir em determinada situação.
Vamos em frente!
luca.brasil@gmail.com